(11) 3729-4662
contato_ohlbraga
RH1000 - Software de Gestão de Pessoas
Artigos e Reportagens

Software Gestão de Pessoas - RH1000

Árvore de Metas - defina com assertividade


11/Mai/2016

Grandes organizações não conseguem definir metas assertivamente com foco nos objetivos da empresa

 

O que acontece quando os executivos não conseguem definir metas com foco nos objetivos da empresa?

 

As metas são alteradas no meio do exercício, gerando instabilidade e desmotivação.

Cuidados: imaginar três cenários no processo de definição das metas: um positivo, um moderado e um pessimista; a seguir tomar o cenário Moderado como base para definir as metas. Por fim, vincular os cenários imaginados com o momento atual da economia e do segmento de atuação da organização, possibilitando servirem como base para eventuais alterações das metas. Tudo isto para minimizar o risco de precisar alterar as metas estabelecidas; porque Superestimar ou Subestimar as metas definidas resultará em situações ruins para a empresa.

 

As metas são superestimadas no início do exercício sendo  reduzidas posteriormente  ? acaba passando a impressão de que as metas foram apoiadas em premissas incorretas, análises malfeitas, resultando em metas definidas sem a objetividade e seriedade esperadas.

Cuidados: Na fase de elaboração dos objetivos devem ser tomados todos os cuidados para que as metas não fiquem além das possibilidades da empresa e do mercado, pois as metas se tornarão impossíveis de serem atingidas e acabarão não sendo levadas a sério pelos profissionais. Isto pode levar a empresa a não atingir resultados que seriam possíveis de serem obtidos.

 

As metas são subdimensionadas no início do exercício sendo aumentadas posteriormente ? acaba passando a sensação de injustiça, e a impressão de que as metas foram apoiadas em premissas e análises incorretas. Ou ainda, que o Board da organização quer levar vantagem ao aumentar os objetivos para obter melhores resultados (o que poderá levar a uma provável diminuição do valor dos bônus a serem pagos).

Cuidados: Todos os cuidados devem ser tomados na fase de preparação dos objetivos para que as metas não fiquem aquém das possibilidades da empresa e do mercado. As metas subdimensionadas acabam sendo facilmente atingidas, o que coloca o Board em uma encruzilhada: se aumenta as metas para não perder terreno possível de ser conquistado, passa a ser malvisto pelos profissionais; se não aumenta, deixa de crescer e perde mercado para a concorrência.

 

Como estabelecer regras para eventuais alterações nas metas?

Definir claramente as situações que possam levar a uma eventual revisão das metas e a forma como será feito. Em princípio, uma revisão só se justifica em caso de mudança de cenário da economia e do segmento em que a empresa atua, ou ainda ao serem percebidos erros crassos ocorridos na definição das metas.

É importante que o Board da empresa resista à tentação de alterar as metas no meio do exercício (sem ter ocorrido alterações no mercado), elevando substancialmente os objetivos, ao perceber que as metas serão atingidas com certa facilidade; quando ocorrem, estas mudanças têm como motivação o aumento dos ganhos da empresa e market-share e/ou minimizar os valores a serem pagos em bônus aos profissionais.

Para reduzir a possibilidade de ser necessário fazer mudanças nas metas em função de mudanças no cenário, estas podem ser vinculadas ao crescimento da economia e do setor em que a empresa atua; desta forma, mudanças no cenário serão refletidas nas metas de modo automático.

 

Diretrizes a serem observadas na elaboração de Metas

  • Alinhar as Metas: a partir dos macro-objetivos do exercício futuro, expandir cada macro-objetivo em metas das principais áreas, e terminar por expandir cada meta principal em metas individuais (cascateamento). As Metas precisam ser definidas com assertividade, com foco nos reais objetivos da empresa; todas as metas devem convergir para os macro-objetivos da organização:
  • Observar as dimensões do BSC: analisar se as metas contemplam as quatro dimensões do Balanced ScoreCard - Financeira, Processos, Clientes e Pessoas;
  • Limitar a quantidade das metas: poucas e importantes, para dar foco ao que é realmente importante. Poucas metas por profissional. Não confundir Metas com Tarefas;
  • Elaborar Metas amplas: contemplar o trabalho das equipes e os trabalhos individuais, incluindo o lado qualitativo e comportamental nas metas dos profissionais;
  • Responsabilizar um único profissional: sempre atribuir a um único profissional a responsabilidade por cada meta, seja ela principal de uma área ou individual;
  • Dar amplitude às Metas: analisar bem os possíveis cenários aproximando as metas do cenário mais realista. Vincular as metas a eventuais mudanças na economia / segmento de atuação da empresa;
  • Determinar Prazos: concatenar os prazos de definição das projeções do exercício seguinte, com o prazo de definição das metas dos principais executivos e com o prazo de definição das metas do restante das equipes. Ter tudo definido no início do exercício;
  • Ser consistente com o trabalho: alterar as metas definidas somente em casos extremos, preferencialmente em situações predefinidas como grandes alterações de cenário;
  • Comunicar as Metas: envolver todos os profissionais no acompanhamento dos objetivos e metas, com o resultado dos indicadores e o desempenho da empresa e das áreas.

 

Para auxiliar o trabalho de definição e gerenciamento dos macro-objetivos e metas, conheça a Árvore das Metas do Sistema RH1000, com a vinculação e cascateamento de todas as metas da organização.


Quer mais soluções para implementação de programas de desenvolvimento? Acesse: www.ohlbraga.com.br



Mauro Braga
Engenheiro, Consultor empresarial e mentor do Sistema RH1000


Palavras-chave: Metas, Avaliação





Política de Segurança | Perguntas Frequentes





Copyright © 2017 RH1000 Sistema de Gestão de Pessoas por Competências - Todos os direitos reservados.